INSS anuncia pente-fino com 152 mil beneficiários de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

O Governo Federal publicou edital nesta quinta-feira (12) no “Diário Oficial da União” que convoca para perícia médica pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Paralímpicos falam sobre bullying e inclusão de deficientes

Marco Aurélio e José Jesus, atletas paralímpicos medalhistas em olimpíadas, estiveram no Colégio Renil, em Mauá, palestrando para alunos dos 6º e 7º anos abordando dois assuntos muitos discutidos na atualidade: bullying e a inclusão de deficientes.

Fazendinha é diferencial no Jardim Renil Kids

As crianças são incentivadas a, diariamente, participarem no trato aos animais como alimentação e cuidados, bem como a acompanhar o crescimento das plantas, principalmente das hortaliças.

Arena da “Patrulha Canina” invade o Mauá Plaza Shopping

Várias atividades da turminha mais corajosa da televisão estarão na Praça de Eventos a partir do dia 10 de abril. As inscrições são gratuitas e podem participar crianças de 03 a 12 anos.

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Paulo Serra suspende aumento de IPTU em Santo André

Por Bruno Coelho – Jornal Repórter Diário.


Um número elevado de reclamações, pressão política de vereadores e setores da sociedade fizeram o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), recuar no aumento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de 2018. Nesta quarta-feira (31), o governo apresenta o projeto de lei à Câmara a fim de suspender as alterações da PGV (Planta Genérica de Valores) sancionadas em julho do ano passado.

Mesmo com a decisão anunciada nesta terça-feira (30), Serra já cogitava em voltar atrás no reajuste do IPTU nos últimos dias, ao avaliar, junto com secretários municipais e pessoas próximas, o tamanho do desgaste do governo nas ruas e pelas redes sociais. Em janeiro, a Prefeitura iniciou a distribuição de 222,6 mil carnês, assim dando início à onda crescente de reclamações pelos novos valores do tributo.

O governo ainda não tem certeza se o projeto anulando as mudanças na PGV, desatualizada desde 2002, será votado no Parlamento nesta quinta-feira (1º) em sessão extraordinária – uma vez que a plenária inicial é dedicada à formação das comissões permanentes – ou na terça-feira (6). Enquanto espera o aval dos vereadores, que ocorrerá sem percalços, o Paço se focará em divulgar a suspensão do reajuste.

A partir do aval do Legislativo, o governo distribuirá 222,6 mil novos carnês com datas de vencimento, inicialmente projetadas ao fim de março. Os valores serão os mesmos cobrados em relação ao IPTU de 2017, com acréscimo apenas da reposição inflacionária. Quem pagou o tributo poderá solicitar a restituição da quantia ou usá-la como crédito tributário ao próximo exercício.

De acordo com o Portal da Transparência, a Prefeitura de Santo André já arrecadou R$ 69,2 milhões com IPTU, principalmente por meio de setores de comércio e indústria, que foram os primeiros a receber os carnês, com a primeira parcela no dia 23. A segunda etapa seria a distribuição para proprietários de imóveis residenciais, cujo prazo da mensalidade era 16 de fevereiro.

Até esta terça-feira, o governo registrou 5.095 requerimentos envolvendo o IPTU, sendo 3.679 pelo site da Prefeitura de Santo André, enquanto a praça de atendimento do Paço recebeu 1.416 pedidos. 

Por dois domingos seguidos, Serra foi alvo de manifestação de moradores. No dia 14, inclusive, o protesto saiu do Paço e chegou até o prédio onde reside o prefeito.

Além da pressão das ruas, Serra também viu a sustentabilidade ruir no Parlamento, uma vez que 13 vereadores da base aliada assinaram o requerimento de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) contra as distorções do IPTU. A medida também foi alvo de ação judicial da Acisa (Associação 
Comercial e Industrial de Santo André) e da bancada do PT.

Na noite desta terça-feira, Serra (foto) fez transmissão ao vivo na sua página no Facebook para comunicar a decisão de suspender o aumento do IPTU.

Arrecadações

Segundo o Portal da Transparência, o governo arrecadou por meio do IPTU o valor R$ 269 milhões em 2017. A mesma página projetava uma receita, para o atual exercício, de R$ 581,1 milhões a partir das alterações da PGV. O montante, porém, foi reduzido para R$ 410 milhões graça aos limitadores de aumento para diferentes categorias de imóveis, o que não impediu distorções nos números cobrados nos carnês.

Segundo integrantes de uma comissão formada pelo governo, Legislativo e entidades da sociedade civil organizada, um dado preliminar indicava que aproximadamente 45 mil carnês estavam com problemas. Por essa razão, organizações que formam o grupo elogiaram a decisão do prefeito, por considerar inviável reverter tal quadro em pouco tempo.


FUNDAÇÃO DO CÂNCER DÁ DICAS DE PREVENÇÃO PARA OS FOLIÕES

O mês de fevereiro apresenta a maior festa popular do país: o Carnaval! Nessa época agitada, é importante não esquecer da saúde para a brincadeira não sair do ritmo. Entre um bloquinho e outro, é bom relembrar alguns cuidados para enfrentar a maratona de folia de forma saudável. Confira as dicas e recomendações da Fundação do Câncer para aproveitar o Carnaval com alegria e saúde:

·         Horários recomendados para exposição ao sol
Deve ser antes das 10h e após as 16h. Fora desses períodos, a radiação solar é muito perigosa, pois favorece o envelhecimento precoce e aumenta os riscos de desenvolver câncer de pele. Com o banho de sol nos horários recomendados é possível garantir um bronzeado bonito e saudável e ainda boa absorção de vitamina D, que fortalece os ossos.

·         Cuidados na praia ou na avenida
Seja na praia, na avenida ou em qualquer local onde haja exposição ao sol, a proteção é sempre a melhor opção. Por isso, use sempre chapéus, bonés, roupas com proteção UV e guarda-sol (feito de algodão ou lona, evitando barracas de nylon). É essencial o uso de filtro solar com, no mínimo, FPS 30, contra radiação UVA e UVB, no corpo e nos lábios. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre e também durante a jornada de trabalho em locais abertos. A utilização de óculos escuros com filtro ultravioleta é importante para prevenir lesões oculares.

·         Profissionais que trabalham ao ar livre
Pessoas que trabalham sob o sol são mais vulneráveis ao câncer de pele não melanoma. Além dos cuidados básicos de proteção, durante o dia deve usar camisas de manga longa e calças compridas e, sempre que possível, buscar abrigo na sombra. O protetor solar deve ser repassado e vale ressaltar que, fora do prazo, eles não oferecem proteção.

·         Alimentação leve
Procure comer, no mínimo, cinco porções diárias de frutas, verduras e legumes. Dê preferência a alimentos cozidos ou assados e inclua grãos, cereais integrais, leite e derivados desnatados em suas refeições. Evite alimentos industrializados, frituras, carnes processadas, defumadas, curadas e embutidos.

·         Tá com sede?
A hidratação é outro item bem importante. O corpo humano é formado por quase 70% de água, que facilita a absorção dos alimentos, diminui os riscos de infecções, pois desintoxica o organismo, e contribui no fortalecimento das defesas do organismo. Por isso, use e abuse de água e sucos naturais.


Volta às aulas: cadeirinha é aliada no transporte seguro de crianças

Detran.SP ressalta a importância do uso do equipamento para reduzir os riscos de ferimentos graves em caso de batida e freada repentina




Com a volta às aulas, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) ressalta a importância dos pais usarem as chamadas cadeirinhas para transportar os pequenos com segurança até a escola. Só na rede pública estadual, mais de 5 mil unidades iniciam o ano letivo nesta quinta-feira, 1º de fevereiro.

O equipamento, que varia de acordo com a faixa etária da criança, reduz o risco de ferimentos graves e mortes em casos de batida ou freada repentina. Até os 10 anos, elas devem ser levadas no banco traseiro, usando o cinto de segurança. Quem tem até 7,5 anos de idade deve, obrigatoriamente, estar acomodado em dispositivo adequado.

"Imprevistos podem acontecer em qualquer dia e lugar. Por isso o uso da cadeirinha é indispensável. Além de um ato de amor, é uma ótima forma de iniciar a educação das crianças para a importância do trânsito seguro", reforça Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran.SP.

Orientações para uso da cadeirinha – Os equipamentos são comercializados de acordo com o limite de peso e a idade da criança. Por isso, o ideal é que, antes de comprar, os pais coloquem a criança na cadeirinha e fixe-a com o cinto do próprio acessório para ter certeza de que está adequado para ela. Outro aspecto importante é seguir as recomendações do fabricante na hora de fixar a cadeirinha ao veículo. Uma fixação mal feita pode prejudicar a proteção da criança.

O uso da cadeirinha é indicado entre 1,1 e 4 anos de idade. Antes disso, o dispositivo de segurança para o transporte deve ser o bebê conforto ou conversível. Dos 4,1 aos 7,5 anos é obrigatório o assento de elevação para que a criança seja presa ao cinto de segurança do veículo. A partir daí, até os 10 anos, caso tenha altura necessária, pode ser transportada no banco traseiro diretamente com o cinto do assento do veículo.   

O transporte no banco dianteiro antes dos 10 anos, desde que com a cadeirinha adequada, é permitido em algumas situações, como nos casos em que a quantidade de crianças for maior do que os assentos traseiros e quando os assentos traseiros só forem dotados, de fábrica, com cintos do tipo subabdominal, de dois pontos.
Transportar crianças em veículo automotor de forma irregular é infração gravíssima, com multa de R$ 293,47, além de retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada, conforme prevê o artigo 168 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).


Transporte escolar – A legislação federal não exige o uso de cadeirinhas nos veículos de transporte escolar, mas todas as crianças devem ser transportadas sentadas e com cinto de segurança afivelado. Existem outros itens que os pais devem estar atentos ao contratar um serviço particular para levar o filho à escola. O Detran.SP fornece as dicas a seguir:

·         Verifique se o condutor é habilitado, no mínimo, na categoria "D";
·         Na habilitação deve constar a inscrição "T.E.", que indica a conclusão do curso de especialização para transporte de escolares;
·         O veículo deve ter o termo de autorização para este tipo de transporte, além da vistoria regular do Detran.SP;
·         Confira se há cintos de segurança em número igual à lotação e em bom estado;
·         Certifique-se de que as janelas não abram mais que 10 cm. Essa trava é obrigatória;
·         Verifique as condições dos equipamentos obrigatórios (lanternas, pneu, espelho retrovisor, etc.);
·         Prefira o transporte que tenha outro adulto acompanhando as crianças;
·         Observe as condições de higiene, conforto e segurança;
·         Questione o itinerário e o tempo de permanência do aluno no veículo;
·         Observe como o motorista recepciona as crianças na porta da escola;

·         Peça referências a outras famílias.

DONISETE FEZ VISTAS GROSSAS À FROTA MENOR DA SUZANTUR



Por Raphael Rocha - Diário do Grande ABC

A Prefeitura de Mauá deixou de aplicar R$ 383,5 milhões em multas para a Suzantur pelo fato de a empresa ter operado no município durante 81 dias com oferta menor de veículos, com carros antigos e sem autorização do Paço para tal manobra. Porém, nenhuma sanção foi imposta à companhia.

O valor se refere ao descumprimento do item 28 e subitem 28.1 do edital 8/2014, de concessão do transporte público para a iniciativa privada, licitação essa vencida pela Suzantur em agosto de 2014. O certame exigia que a vencedora apresentasse frota com 248 ônibus, todos zero-quilômetro. A Suzantur declarou ter essa quantidade quando o contrato foi homologado, em 14 de agosto daquele, mas iniciou sua atividade com menos carros e veículos antigos.

O item 164 do edital, em seu parágrafo B, diz que sanções devem ser aplicadas caso a contratada apresente “frota em desacordo com a proposta apresentada na concorrência”. A multa teria de ser de 20 mil FMP (Fator Monetário Padrão) por veículo e com prazo de 15 dias para sua regularização, sob pena de rescisão do contrato. O FMP de 2014 estava em R$ 3,1994.

Segundo respostas a requerimentos confeccionados pelo vereador Manoel Lopes (DEM), o governo de Donisete Braga (PT) admitiu que a Suzantur iniciou a operação no município com 194 carros, sendo que 20 deles não eram zero-quilômetro. Ou seja, a companhia, presidida por Claudinei Brogliato, começou a trabalhar no município em caráter definitivo com 74 veículos a menos do que exigia o edital – a Suzantur já administrava emergencialmente linhas antes sob responsabilidade da Leblon Transporte de Passageiros.

O governo Donisete buscou solucionar o problema ao autorizar a Suzantur, em 3 de novembro de 2014, a rodar com frota inferior e com carros sem ser zero-quilômetro. O aval foi dado pelo então secretário de Mobilidade Urbana, Azor de Albuquerque Silva, cujos documentos foram revelados com exclusividade pelo Diário no domingo. A alegação da administração foi que a Pasta promovia estudo para troca de itinerário e construção de terminal. Essa autorização foi renovada em 2015 e 2016, encerrada somente em dezembro de 2017, já no governo de Atila Jacomussi (PSB).

Na prática, o documento liberou a Suzantur a burlar duas das principais regras do edital de concessão do transporte público, uma vez que a empresa, ao apresentar sua proposta, garantiu ter toda frota nova à disposição do munícipe de Mauá. Até o ano passado, a Suzantur ainda atuava na cidade com menos carros do que o exigido na licitação, bem como veículos com fabricação anterior a 2014.


O contingente de 284 ônibus só foi atingido pela Suzantur neste ano, quando carros financiados via programa Refrota, da Caixa Econômica Federal, começaram a chegar para o município.

A manobra que liberou a Suzantur a atuar quase quatro anos com frota menor é alvo de investigação por parte do Ministério Público e do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Ato não foi informado na transição, diz Atila

A administração do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), revelou que não foi informada pelo governo de Donisete Braga (PT) sobre a autorização para que a Suzantur operasse com oferta menor de ônibus do que era exigida no edital de concessão do transporte público.

A gestão socialista declarou que tomou conhecimento do aval somente em março, quando a Câmara aprovou requerimento solicitando informações a respeito do contrato.

O Diário mostrou no domingo que em 2014 o governo de Donisete Braga expediu documento que liberava a Suzantur a rodar com menos ônibus e com veículos antigos, o que não era permitido pelo edital.

A última autorização, aliás, foi concedida pelo então secretário de Mobilidade Urbana, Azor de Albuquerque Silva, no dia 22 de dezembro de 2016, oito dias antes de Donisete deixar o Paço para dar lugar a Atila. O aval era válido por 365 dias, ou seja, só venceria em 22 de dezembro de 2017.

“Desde que assumimos, o governo exige que a Suzantur trabalhe em conformidade com o edital, com 248 ônibus e a reserva técnica de 10%. A empresa informou que ônibus seriam adquiridos por meio do Refrota, o que foi cumprido. Hoje, a idade média da frota de Mauá está em menos de cinco anos, o máximo exigido pelo edital”, declarou o governo Atila.

A administração socialista disse ainda que aguardará investigação do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e do Ministério Público sobre a manobra feita pela gestão de Donisete e que, por enquanto, não pretende instalar apuração própria para analisar o episódio. Donisete e Suzantur não retornaram aos contatos da equipe do Diário.

            

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

É necessário integrar!



*Ana Regina Caminha Braga

Para que a pessoa com deficiência aprenda, ela precisa ser integrada ao meio e ao convívio social. E a escola tem um papel fundamental nessa integração, já que o professor entra com a função de reabilitador. É papel do docente integrador elaborar atividades que atendam e incluam o aluno com deficiência dentro de suas habilidades e limitações.

No entanto, para isto acontecer passamos por um movimento no qual a criança com deficiência, muitas vezes, foi inserida numa escola, instituição ou lugares para adquirir novas aprendizagens longe de casa, do convívio da família, dos colegas e da sociedade. Por esta razão, é importante refletir se nos dias atuais colocar a criança ou um adulto longe de sua realidade vai de fato contribuir para a sua aprendizagem, porque considera-se que o ser humano precisa vivenciar conflitos e com as pessoas com deficiência não é diferente. Elas precisam aprender a lidar com as diversas situações da vida.

No âmbito educacional quando a integração escolar é abordada de maneira a considerar o aluno como um sujeito que independente das suas limitações e deficiências. Uma questão relevante de se considerar é que inserir na sala de aula um aluno com necessidades especiais sem oportunizar estratégias que possam contribuir para o seu aprendizado pode comprometer as aquisições futuras ou estagnar o processo. Portanto, a integração pela integração sem colocar a frente desta atitude uma objetividade acaba não atingindo o ponto crucial da integração escolar.

Os alunos com necessidades especiais precisam ter as mesmas condições de aprender dos demais alunos. O primordial é que a criança/aluno com deficiência tenha a oportunidade de participar e aprender na escola e no meio social de maneira significativa, para que as experiências sejam vividas e divididas com os seus parceiros de aprendizagem, ou seja, amigos, colegas e professores. Independente da condição e comprometimento que o aluno tenha, é o professor que precisa acompanhar suas atividades e direcionar os passos dados ou que é adequado orientá-lo.

*Ana Regina Caminha Braga (anaregina_braga@hotmail.com) é escritora, psicopedagoga e especialista em educação especial e em gestão escolar


Carlos Bertolazzi ensina a fazer salada de flores e frutas


Neste verão, refresque-se com típica receita


Com Estrela Comunicção

O verão é uma época em que o calor predomina e este ano não está sendo diferente. Sendo assim, a maioria das pessoas buscam diversas formas e saídas para se refrescarem. Pensando nisso, Carlos Bertolazzi, Chef do Zena Caffè, propõe uma alternativa: alimentar-se bem, com alimentos frescos e bastante salada. 

Para tal, ele sugere uma receita que leva flores e frutas, prato típico da casa, que completa nove anos em 2018. Confira!

Ingredientes (para 4 pessoas)
Alface crespa, roxa, rúcula e agrião;
Quatro figos;
Uma manga;
12 morangos;
Flores comestíveis (como por exemplo: xxxxxxxx);
200 ml de vinagre balsâmico;
100g de presunto Parma;
100g de queijo de cabra em pasta;
Azeite;
Sal.

Modo de Preparo:

Corte o presunto de parma em fatias bem finas e coloque em forno bem baixo para desidratar. Reserve em uma pequena panela. Ferva o vinagre balsâmico até obter um xarope levemente adocicado. Faça pequenas bolinhas com o queijo de cabra. Em seguida fatie as frutas e monte a salada com as folhas, as flores, os chips de Parma, o xarope de balsâmico e o queijo.
Tempere com um pouco de azeite e sal. 


Serviço de telefonia móvel é campeão em reclamação no setor de telecomunicações


Por Jalila Arabi – Agência Rádio Mais - 30/01/2018

Antônio Pereira de Souza, de 63 anos, é um senhor simples que hoje vive no município de Jequitaí, no norte de Minas Gerais. Por lá, Nozão, como é mais conhecido pelos colegas, trabalha em um projeto de construção da barragem no rio local e faz o reconhecimento da flora e de plantas nativas. Mesmo não sendo muito ligado em tecnologia, Antônio usa o telefone celular para fazer e receber algumas ligações. Mas, nos últimos meses, vem reclamando do serviço prestado pela operadora, pois o município ficou sem o sinal da companhia por alguns meses.

Ele conta que ficou incomunicável e, por mais ou menos dois meses, não conseguia entrar em contato com o escritório na capital do estado, em Belo Horizonte. “Eu só recarregava, recarregava o celular e não conseguia falar com ninguém. Aí quando voltou o sinal, eu fui olhar os créditos, achando que tinha muito pelos abastecimentos que fiz, não tinha nada”, reclama. A solução encontrada por ele foi acionar um advogado imediatamente e entrar com um processo na justiça.

O que Antônio não sabia é que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) poderia ajudar a solucionar o problema. O setor de telefonia móvel é um dos mais importantes – e um dos que mais registram reclamações. Hoje, são cerca de 200 milhões de aparelhos celulares no Brasil contra 30 milhões de aparelhos fixos. Mas, juntos, esses serviços somam 70% das queixas. “Nosso objetivo é garantir que o serviço de telecomunicações seja prestado com preços e qualidade adequados”, explica o superintendente executivo da autarquia, Carlos Baigorri.  Por ano, o call center da Anatel recebe por volta de 13 milhões de ligações com reclamações, com índice de resolução acima dos 90%, garante Baigorri. 

O serviço do call center é tentar intermediar o conflito entre consumidor e prestador de serviços e também conflitos de ordem técnica ou comercial entre operadoras. De acordo com Carlos Baigorri, a maior reclamação recebida pela Anatel é a de erro na cobrança da fatura do celular. “O cliente entra em contato com a operadora para ver o que está acontecendo, mas se a operadora não resolver o problema, ele pode entrar em contato com a Anatel”, orienta.

Mas para que a reclamação chegue até a Anatel, é preciso que o consumidor venha munido do protocolo de atendimento da operadora, pois só assim a solicitação pode ser gerada. “Eu não sabia disso, estou sabendo agora”, lamenta Antonio Pereira de Souza, que não chegou a entrar em contato com a empresa de telefonia móvel antes de procurar a justiça.

A advogada Camilla Porto explica o que o cliente pode fazer caso se sinta prejudicado. “Quem se depara com esses problemas tem a opção imediata de abrir um chamado na própria operadora. Não havendo resultado, o consumidor pode, alternada ou cumulativamente, procurar defesa na esfera administrativa, como nos órgãos de defesa do consumidor e na Anatel”, alerta.



Equilíbrio

Em 2012, a jornalista Deborah Souza teve problema com sua antiga operadora de celular. Ela participava de uma promoção com sua linha pré-paga e precisava de um chip novo para continuar com os bônus, mas, segundo ela, a operadora não quis fornecer. “Na época, eles alegaram que a empresa havia falido. Registrei minha reclamação na Anatel e entrei também com processo judicial”, lembra. Porém, o processo não foi favorável a ela. “Eu saí no prejuízo, porque ainda tinha alguns anos de contrato com a operadora. Estava entrando no mercado de trabalho e tive que alterar meu telefone nos currículos, com certeza devo ter perdido oportunidades de emprego”, conta.
MAIS: Número de celulares é maior que o de pessoas no Brasil

Apesar de o consumidor ser a parte mais frágil da relação, um dos papéis da Anatel é zelar pelo equilíbrio do setor. “A Anatel não é um órgão de defesa do consumidor, não é esse o papel das agências reguladoras. O nosso objetivo é promover o mercado de telecomunicações. O consumidor é uma parte desse mercado, a outra parte são as empresas. A gente busca de alguma forma proteger e garantir os direitos do cliente, mas nós também temos que observar o desenvolvimento do mercado”, alerta Carlos Baigorri.

Agência reguladora

A Anatel é uma das dez agências reguladoras existentes hoje no Brasil. Criada em julho de 1997, a agência regula e garante o mercado de telecomunicações no País, o que inclui serviços de telefonia fixa e móvel, banda larga (internet), TV por assinatura e a responsabilidade pela utilização do espectro radioelétrico (radiofrequência).

A fiscalização dos serviços é feita por meio de regulamentos, que são documentos aprovados por meio do conselho diretor da Anatel e, por força de lei, passam antes por consulta pública. Depois dessa etapa, a autarquia analisa as contribuições da sociedade e, posteriormente, o conselho diretor aprova o documento. A partir de sua publicação, ele passa a valer e obriga as prestadoras de serviço a seguirem o regulamento. Em caso de descumprimento, elas ficam sujeitas a multas e medidas cautelares, por exemplo.

“Toda vez que você usa seu celular para acessar internet 3G ou 4G, esse acesso só está disponível porque a Anatel fez a alocação, o edital e criou toda a regulamentação para que esse espectro fosse utilizado. A Agência não desenvolve a tecnologia, não desenvolve os modelos de negócio, o que a gente garante é que essa radiofrequência seja utilizada pelas empresas de forma que o serviço possa funcionar”, completa Baigorri.

Os canais de acesso à Anatel são o call center, no telefone 1331, os aplicativos de celular (a forma mais eficaz de atendimento, segundo o superintendente) e o site da autarquia. 

PL

Está em tramitação no Congresso o Projeto de Lei 6621, de 2016, que promete melhorar a gestão das agências reguladoras. O PL é de autoria do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e quer unificar as regras sobre gestão, poder e controle social das agências, a fim de dar mais autonomia, transparência nas atividades e evitar que essas autarquias sofram interferência do setor privado.

Caso o PL seja aprovado, uma das maiores mudanças seria no mandato dos dirigentes. Atualmente, o mandato dos conselheiros e dos diretores das agências é de quatro anos, podendo ser reeleitos por mais um mandato. Se aprovado, o projeto prevê cargo de cinco anos, sem recondução. O projeto aguarda a instalação de uma comissão especial, prevista para fevereiro deste ano.

Mauá vacina 30,3 mil pessoas contra a Febre Amarela

Mauá vacina 30,3 mil pessoas contra a Febre Amarela



Assessoria de Imprensa PMM

Nos dois primeiros dias da campanha de imunização contra a Febre Amarela (dias 25 e 26 de janeiro), a Prefeitura de Mauá aplicou mais de 30,3 mil doses da vacina na população. A vacinação está sendo feita em todas as 23 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do município.

Considerando que as unidades estão funcionando das 8h às 17h – nove horas diárias de expediente, portanto –, foram aplicadas 1.686 doses da vacina por hora nos dois primeiros dias. A cada minuto, 28 pessoas foram imunizadas contra a Febre Amarela em Mauá.

Do total de vacinas, 20,8 mil (68,7%) foram aplicadas na população entre 15 e 59 anos de idade. Outras 4.964 pessoas de até 9 anos foram vacinadas, o que equivale a 16,4% do total. Nos jovens entre 10 e 15 anos, foram aplicadas 2.623 doses, o equivalente a 8,7%. Os idosos com mais de 60 anos receberam 1.910 doses – 6,3% do total.

Entre os dias 25 e 26 de janeiro, as UBSs que aplicaram maior quantidade de doses foram as do Jardim Zaíra II (2.460), Jardim Santista (2.329), São João (1.913), Feital (1.815) e Jardim Mauá (1.793).

A campanha de vacinação segue até o dia 17 de fevereiro. Durante esse período, todas as unidades aplicam a vacina entre segunda e sexta-feira, entre 8h e 17h. Os postos também funcionarão em dois sábados, os chamados Dias D, nos dias 3 e 17 de fevereiro, também das 8h às 17h.

Informações gerais


A orientação é para que idosos, portadores do vírus HIV, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e doença falciforme a consultem um médico antes de tomar a vacina. A imunização não é indicada para grávidas que estão fora das áreas de risco, mulheres que estão amamentando crianças de até 6 meses e pacientes em tratamento quimioterápico ou radioterápico ou ainda para os que fazem uso de corticoides em doses elevadas.

Para se vacinar, é necessário comparecer a um dos postos levando documento com foto, carteira de vacinação e cartão do SUS (se tiver). Há doses suficientes para toda a população.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Como cuidar dos fios após praticar atividades físicas!

Com agências:
Verão é época de atividades ao ar livre, na praia, no campo, na piscina! Mas, você sabe quais os cuidados deve ter com os fios após praticar atividades físicas? Com as dicas abaixo não há desculpas para que você deixe a corrida, tênis ou qualquer outra atividade de lado, elas garantem fios brilhosos e bem cuidados. Confira!
Não pule a lavagem
Você sabia que o suor pode ser prejudicial aos cabelos? Por isso, é essencial a lavagem dos fios após os exercícios físicos, mesmo aqueles feitos fora da água. Não importa se você pratica ciclismo, spinning ou corrida. Se exercitou? Então lave os cabelos! Deixar o suor secar nos cabelos pode resultar em ressecamento e frizz.
Como cuidar dos fios após praticar atividades físicas: hidrate e hidrate muito!

Um dos maiores segredos para ter cabelo bem cuidados é a hidratação. Por isso, não deixe de incluir o ritual na sua rotina de cuidados. Primeiro, lave bem os fios com um shampoo de limpeza profunda. Enxágue e então aplique a sua máscara preferida por todo o comprimento. Faça o ritual semanalmente e você verá que os cabelos resistirão muito mais aos danos do suor e do sol.

Governo não abre mão de votar Previdência em fevereiro, afirma ministro


26/01/2018 – Com Agências

Em meio às discussões sobre a reforma da Previdência, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, afirmou nesta semana em entrevista à TV NBR que o governo não trabalha com a hipótese de votar o texto em novembro. De acordo com o líder da pasta, a ideia é que a matéria seja votada em fevereiro, antes das eleições.

Dyogo afirmou ainda que o rombo previdenciário de 2017, anunciado nesta semana pelo governo, é um indício de que a reforma precisa ser aprovada o quanto antes. “Um déficit que vem crescendo ano após ano. Saúde, Educação, Transporte, tudo isso vem sofrendo por falta de recurso, por que a Previdência vem consumindo um volume excessivo de recurso do governo”, explicou.

Segundo dados da Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda, o déficit,no ano passado, ultrapassou R$ 268 bilhões. O economista do Departamento de Assuntos Fiscais e Sociais do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima, explica porque o rombo é gerado.

“Incluímos 14,6 milhões de pessoas nos últimos 17 anos, aumentamos o valor do benefício de 274 para 1.200 reais nesse período e a duração do benefício aumentou em quatro anos. Ou seja, estamos incluindo mais pessoa, por mais tempo, com um valor maior”, ressaltou o especialista.

Entre os pontos previstos na reforma da Previdência, está o que pretende equiparar os regimes previdenciários dos servidores públicos aos do INSS.

De acordo com o balanço apresentado pelo governo, só no regime próprio dos servidores da União, em 2017, houve um déficit de R$ 86,34 bilhões. Os servidores civis são responsáveis por R$ 45,24 bilhões, militares por R$ 37,68 bilhões e demais servidores por R$ 3,42 bilhões. Já o rombo no INSS foi de R$ 182,45 bilhões.

Reforma da Previdência



Para tentar aprovar a reforma da Previdência o quanto antes, o governo Federal propôs, no fim do ano passado, um texto mais enxuto que o original. Entre os principais pontos está a idade mínima para se aposentar de 62 anos para mulheres e 65 para anos para homens. Além disso, a ideia é equiparar os regimes de previdência dos servidores públicos aos do INSS, o que, na avaliação do coordenador de 

Previdência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Rogério Nagamine, deixa o sistema mais igualitário.

“Você tem uma diferença de valor de benefício gigantesca. É exatamente por isso que é importante que passe uma proposta do governo que obrigue a todos os regimes de previdência dos servidores públicos a ter o mesmo teto do INSS”, justificou Nagamine.

Ficou de Fora

A proposta inicial do governo pretendia incluir na reforma as aposentadorias rurais e o Benefício da Prestação Continuada (BPC). Porém, como se tratavam de temas polêmicos, as regras para adquirir esses benefícios permaneceram como estavam.
  

Mauá inicia vacinação contra Febre Amarela

Primeiro dia de campanha na cidade registrou movimento tranquilo nas unidades de Saúde e imunização de cerca de 15 mil pessoas

Assessoria de Imprenssa PMM

A Prefeitura de Mauá deu início nesta quinta-feira , 25,à campanha de vacinação contra a Febre Amarela com o objetivo de imunizar toda a população da cidade. No primeiro dia, cerca de 15 mil pessoas foram vacinadas nas 23 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) municipais.

Tudo correu dentro da normalidade, sem longas filas ou tumulto, com fluxo de atendimento organizado pelos profissionais de cada unidade. Até às 14h (quando 7.450 pessoas já haviam recebido doses da vacina) a UBS Santista foi a que registrou maior adesão à campanha com 699 atendimentos. O prefeito Atila Jacomussi acompanhou os trabalhos em diversos locais, juntamente com equipes da Saúde.

“Fiz questão de acompanhar o primeiro dia da campanha nas Unidades Básicas de Saúde. Conversei com cada uma das equipes para que façam um atendimento humanizado, sempre tratando o paciente com dignidade e respeito. Vamos continuar acompanhando os trabalhos para garantir que Mauá continue longe da Febre Amarela”, disse o prefeito Atila.

Ao longo da campanha, serão aplicadas as doses fracionadas da vacina (de 0,1 ml). De acordo com o Ministério da Saúde, a dose fracionada apresenta o mesmo nível de eficácia contra a doença e garante proteção por pelo menos oito anos. A única diferença é que a dose padrão protege o paciente por toda a vida. Em alguns casos, as doses integrais são recomendadas e, por isso, elas seguem sendo aplicadas.

A Secretaria Municipal de Saúde vem orientando idosos, portadores do vírus HIV, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e doença falciforme a consultarem um médico antes de tomar a vacina. A imunização não é indicada para grávidas que estão fora das áreas de risco, mulheres que estão amamentando crianças de até 06 meses e pacientes em tratamento quimioterápico ou radioterápico ou ainda para os que fazem uso de corticoides em doses elevadas.

Dias D



Na luta contra a Febre Amarela, Mauá ainda realizará mutirões da vacina em dois sábados, dias 03 e 17 de fevereiro (último dia da campanha). De segunda a sexta-feira, os trabalhos seguem sempre das 8h às 17h.

Há doses suficientes para imunizar todos os mauaenses. Vale lembrar que Mauá não é considerada área de risco e que nenhum caso da doença foi registrado na cidade. 

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Petrobrás reduz preços, distribuidoras não, e gás de cozinha pode não ficar mais barato para o consumidor

Gil do Gás Filho, presidente da Apregas, denuncia que distribuidoras não estão repassando a redução no preço.


Mesmo com a redução de 5% no preço do gás de cozinha nas refinarias, anunciada para esta semana, o consumidor poderá pagar o mesmo preço de antes pelo botijão de gás de 13 kg. Isso é o que afirmam os representantes das revendedoras que estão revoltados em razão de que as distribuidoras não estão repassando a redução.
Assim, o preço do botijão para o consumidor poderá não sofrer alteração.
Para o presidente da Apregas (Associação Paulista dos Revendedores de Gás), Gil do Gás Filho, é uma situação desrespeitosa, desgastante e muito prejudicial. “Estamos diante de um impasse que causa prejuízos a revendedores e, principalmente, ao consumidor final. A Petrobras anunciou a redução no preço do gás, porém os distribuidores intermediários não estão repassando o desconto para as revendas, impedindo que possamos vender mais barato aos consumidores”, explica Gil do Gás Filho.
Gil atribui o que está acontecendo a uma espécie de “combinado”, já que nenhuma das distribuidoras efetuou o repasse. “Considerando que o anúncio da redução no preço do gás de cozinha foi divulgado nacionalmente, aos ‘quatro ventos’, inclusive com conotação de melhoria no custo de vida familiar, o consumidor, com razão, cobra o preço menor nas portas das revendas, que se veem entre a ‘cruz e a espada’, sem condições de vender mais barato porque as distribuidoras não repassaram o devido desconto.”
“Estamos diante de uma situação de completo desmando onde quem sempre paga a conta são os mais fracos, neste caso, os revendedores e consumidores”, argumenta Gil do Gás Filho.
O presidente da Apregas ainda destacou que estará trabalhando junto às distribuidoras na busca de solucionar o problema. “Vamos lutar com todas as nossas forças para obter o desconto anunciado pela Petrobras, não só pelos nossos associados mas, e, principalmente, pelos nossos clientes consumidores”, conclui.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Vendas de voltas às aulas podem crescer 4%, diz FCDLESP

Ticket médio esperado pelos comerciantes varia entre R$60,00 e R$180,00

Com agências
Após fechar 2017 em alta de 1,1%, o varejo paulista começa o ano confiante e preparado para a Volta às Aulas de 2018. A pesquisa de Expectativa de Vendas, realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), revela que as vendas para esse período podem crescer na média de 4%, além dos lojistas contarem com um ticket médio de R$60,00 a R$180,00.
“Os resultados que alcançamos no fim do ano mostram que a economia brasileira está mudando de cenário. Se compararmos a expectativa de vendas do ano passado com a deste ano, veremos que o crescimento esperado ainda é discreto, mas este é o ano para retomar o crescimento, então qualquer aumento de vendas terá um resultado significativo”, afirma o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff.
Este período de Volta às Aulas é a primeira data quente do semestre para o varejo. Por isso, o levantamento, respondido por algumas CDLs do estado, prova que as vendas deste início de ano servem como um termômetro para os lojistas analisarem a real situação da economia.
Aliado a isso, segundo Stainoff, o varejo deve considerar que o começo do ano também é marcado pelo excesso de contas, como IPVA, IPTU e outras despesas, que devem ser consideradas na hora de fechar o orçamento.
Confira a expectativa para cada região de São Paulo:
Interior
Com aumento discreto nas vendas, os lojistas do interior de São Paulo pretendem apenas sentir como está o clima de vendas nesse início de ano. A CDL de Araçatuba afirmou que, se comparado ao ano de 2017, as vendas de Volta às Aulas devem aumentar em 3%, alcançando 5% de crescimento nas vendas.
“Estamos bem informados sobre o rumo em que a economia do país está tomando. Foi excelente o movimento que conquistamos neste Natal e agora, neste início de ano, é necessário aproveitar o momento e continuar com grande número nas vendas”, complementa o presidente da CDL Araçatuba, Gener Silva.
Mais conservadora, a CDL da cidade de Cruzeiro, localizada no Vale do Paraíba, não acredita em aumento para as vendas do período, estabilizando em 3%. O ticket médio esperado pelas duas cidades varia entre R$ 60,00 e R$ 100,00.
Região Metropolitana de São Paulo
Já na Região Metropolitana do estado, os lojistas estão apostando em um ticket médio maior, porém não acreditam em um grande crescimento nas vendas. Em 2017, a CDL de São Bernardo do Campo teve um real aumento de 3% nas vendas e, para este ano, espera que o resultado suba para 5%.
Os lojistas de Taboão da Serra enxergam esse período como um movimento de retomada de crescimento, mesmo que seja pequeno. A CDL da cidade prevê um aumento nas vendas de 3%, igual a janeiro de 2017.
Mesmo após conquistarem bons resultados com a Black Friday e nas promoções de fim de ano, os presidentes Augusto da Fonseca, da CDL Taboão da Serra, e Marcello Alexandre, CDL São Bernardo, afirmam que investir em combos, descontos e em uma boa divulgação vai tornar as vendas do período ainda mais satisfatórias. O ticket médio esperado para essa região varia de R$60,00 a R$200.
Litoral:
A região do estado que se mostra mais confiante para as Volta às Aulas é o litoral. A CDL de Praia Grande acredita que as vendas devem alcançar 10% de aumento, o que representa quase o dobro se comparado ao real crescimento de 2017. Para os lojistas, o consumidor vai ter um ticket médio entre R$150,00 e R$200,00.  
“O principal motivo para estarmos tão confiantes é o aumento de 20% de vagas escolares para 2018, isso irá alavancar as vendas durante essa época”, conclui o presidente da CDL de Praia Grande, Antônio Luiz de Souza.

Orientações importantes sobre o aleitamento materno

*Por Sandra Petit
Embora geralmente recebam diversas orientações ao longo da gestação, é natural que muitas mulheres se vejam perdidas em relação aos cuidados imediatos quando o bebê chega em seus braços. Um dos assuntos que trazem dúvidas é a amamentação, considerada importantíssima por estar diretamente ligada ao desenvolvimento da criança.
A seguir, relaciono algumas dicas para esclarecer as principais dúvidas relacionadas a essa fase:
 1. Compreenda a importância: por meio da amamentação o bebê recebe os anticorpos da mãe, que o protegem de doenças como diarreia, infecções e principalmente doenças respiratórias. Além de auxiliar no desenvolvimento facial, da musculatura orofacial e de aprendizagem do bebê, a amamentação diminui os riscos de asma, diabetes e obesidade, e ainda estabelece um vínculo importante entre a mãe e o filho, fundamental para o desenvolvimento psicológico da criança.
 2. Certifique-se de que ele “está preparado”: existem bebês que não estão prontos para mamar. Isto é, o reflexo de sucção não se manifesta adequadamente, e é necessário realizar uma avaliação fonoaudiológica para verificar o que é preciso fazer para estimulá-lo a mamar adequadamente. A avaliação do frênulo lingual (conhecido como “teste da linguinha”) é muito importante para verificar se não existem limitações de movimento da língua na hora da sucção. 
3. Posicione adequadamente: o bebê precisa ser ensinado a mamar de maneira correta, ou seja, é necessário posicioná-lo adequadamente. A dica é: a mãe deve colocar a barriga do filho voltada para a barriga dela e, então, apoiá-lo em seu braço, para que a cabeça, tronco e coluna fiquem alinhados.
 4. Estimule até o bebê abrir toda a boca: na sequência, é importante que a mãe posicione, com a mão oposta, o bico do seio no lábio do bebê, para estimulá-lo a abrir bem a boca e conseguir pegar toda a auréola, não apenas o bico. Isso faz com que o ele sugue efetivamente, não machucando o peito materno.
 5. Atenção aos intervalos entre as mamadas: quando o bebê é recém-nascido, o intervalo entre as mamadas não deve ultrapassar 3 horas. Ele deve mamar na hora que quiser, o que chamamos de “livre demanda do bebê”. Se ele mama pouco e logo dorme, a mãe deve despertá-lo, mexendo em seu corpinho e o estimulando a manter uma mamada mais longa, para que fique realmente saciado e durma tranquilo. O sinal de que o bebê já está satisfeito é quando ele solta o bico sozinho.
Outra dica importante é que o peito seja esvaziado durante a mamada, pois a gordura do leite que sustenta e faz o bebê ganhar peso vem no final. Esse procedimento também ajuda a manter a produção do leite materno.
Sandra Petit é coordenadora do Departamento de Fonoaudiologia do HSANP, centro hospitalar localizado na zona Norte de São Paulo, e especialista em aleitamento materno.

CPTR de Mauá tem 39 vagas de emprego na semana

Maioria das oportunidades é destinada a pessoas com Ensino Fundamental completo

O CPTR (Centro Público de Trabalho e Renda) de Mauá oferece 39 vagas de emprego na semana entre os dias 22 e 26 de janeiro (segunda à sexta-feira). As oportunidades são para trabalhar em Santo André, São Bernardo, Mauá e Ribeirão Pires.
Do total de vagas, 29 são reservadas para candidatos com Ensino Fundamental completo, sendo dez para pintor industrial e dez para costureira de máquina reta. As demais vagas são as seguintes (sendo uma vaga para cada posição): auxiliar de limpeza, chefe de serviço de limpeza, eletricista de instalações, eletricista de automóveis, motorista de caminhão, vidraceiro e zelador. Outras duas oportunidades, para auxiliar de limpeza, são para pessoas com deficiência que tenham concluído o Ensino Fundamental.
Quem é formado no Ensino Médio tem nove vagas à disposição, sendo três para instrutor de aprendizagem em informática. As demais vagas são para arte-finalista, operador de acabamento em indústria gráfica, operador de máquina empilhadeira, serralheiro, serralheiro (meio oficial) e vendedor orçamentista.
Há ainda uma vaga de auxiliar de limpeza para quem tiver o Ensino Fundamental incompleto.
Para se candidatar aos empregos, é preciso comparecer ao CPTR com RG, CPF e Carteira de Trabalho. O posto está localizado na Rua Manoel Pedro Júnior, 45, na Vila Bocaina, e está aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Mauá
Secretaria de Comunicação Social 22/01/2018 10:13

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Santa Casa de Mauá empossa nova CIPA

Nova comissão empossada
20/01/2018 – Com MP & Rossi. 
Recentemente, a Santa Casa de Mauá empossou a nova CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, a qual atua com o objetivo de prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho por meio de ações permanentes de preservação da vida, promoção da saúde do colaborador e de todos que interagem com a empresa.
 Segundo o supervisor técnico, Sidnei Lopes Gregos, os membros da CIPA devem trabalhar com o propósito da prevenção dos acidentes, seja durante as reuniões periódicas mensais ou fiscalizando as ações que ocorrem diariamente no hospital. “O êxito dessas ações são conquistadas pela união dos cipeiros e pela postura responsável e comprometida em todas as atividades, nas quais devem prevalecer sempre o bom-senso e o trabalho dos membros constituídos, em todas as decisões”, explica Gregos.
 Para integrarem a Comissão, todos os colaboradores eleitos participaram do curso de Cipeiros para Prevenção de Acidentes, em atendimento às exigências da Norma Reguladora 05 - Portaria 3214 de 08/06/78, em conformidade com o Ministério do Trabalho e Emprego.


Pesquisa diz que 70% dos brasileiros não usam filtro solar todo dia e 80% não sabem quanto aplicar

17/01/2018 – Com Maxpress.
Pelo 4º ano seguido, pesquisador Lucas Portilho, especialista em proteção solar, lidera o maior e mais abrangente balanço sobre hábitos brasileiros em relação ao uso do fotoprotetor. Dados deixam a comunidade médica e ANVISA em alerta, já que aumentou o número dos que não aplicam filtro diariamente
Apesar da necessidade de fotoproteção ser assunto constante na mídia, o número de brasileiros que não aplica protetor solar diariamente aumentou drasticamente deste 2014 e já chega a quase 3/4 da população, segundo pesquisa liderada pelo consultor e pesquisador em Cosmetologia Lucas Portilho, farmacêutico e diretor científico do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele. De acordo com os números, 72,5% da população não aplicam o fotoprotetor diariamente — em 2016, esse percentual era de 65%, em 2015 de 53% e em 2014 de 57%. “Essa redução no uso diário do filtro mostra que a conscientização não convenceu a população a usar correta e diariamente o fotoprotetor. Talvez pelo alto custo e situação de crise financeira que se instaurou, a proteção solar ficou como segundo plano de consumo”, conclui o pesquisador, que atua desenvolvendo fotoprotetores há mais de 11 anos. “Vale lembrar que o Brasil é um dos países com maiores índices ultravioleta do mundo por se localizar numa região tropical do planeta e onde a exposição solar é uma cultura que está comumente associada a hábitos saudáveis; o que, como já se sabe, nem sempre é verdade”, completa. Para a pesquisa, foram entrevistadas 1793 pessoas de 27 estados brasileiros.

Quanto aplicar? - Lucas explica que, para a pesquisa de 2017, foi adicionada uma nova pergunta sobre a aplicação correta da quantidade de fotoprotetor. “80% dos brasileiros não têm a mínima ideia de quanto aplicar, portanto mesmo a proteção de quem usa fotoprotetores fica comprometida, pois sem saber o quanto aplicar, uma pessoa pode usar achando que está com proteção quando na verdade está desprotegida”, afirma Lucas Portilho. Radiação UVA e Bronzeamento — Apesar disso, de acordo com Lucas Portilho, a pesquisa revelou que cresceu a conscientização dos consumidores com relação à importância da proteção UVA e os malefícios do bronzeamento. “O número de pessoas que ignora a proteção UVA ao comprar um filtro vem diminuindo ano a ano de acordo com a pesquisa: representava 71% em 2016, 51% em 2015 e 50% em 2017. Com relação ao percentual das pessoas que ainda consideram o bronzeamento uma prática saudável, os números foram: 37% em 2015, 15% em 2016 e 21% no último ano”, explica.
Lucas ressalta que a radiação UVA está presente na natureza em níveis muito maiores e mais expressivos que a radiação UVB (que causa queimaduras solares), e embora menos energética, é uma das mais perigosas. “Diferente da UVB, a radiação UVA atravessa vidros e janelas e penetra profundamente na pele, chegando até a derme, camada mais profunda da pele e onde se localizam as fibras de colágeno e elastina, gerando uma quantidade altíssima de radicais livres. Os radicais livres gerados por esta radiação causam aumento da degradação das fibras de colágeno e elastina, que dão sustentação à pele, sendo as principais responsáveis pelo fotoenvelhecimento, incluindo rugas, linhas de expressão, flacidez e manchas”, conta o especialista.
Câncer de pele — De acordo com dados da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), o Brasil registrou em 2016, aproximadamente, 3973 novos casos de câncer de pele. Estes dados justificam uma maior atenção das autoridades para a questão da fotoproteção uma vez que o câncer de pele já se tornou um problema de saúde pública no país. “A estimativa de casos em 2016 é de 175.760, sendo 80.850 homens e 94.910 mulheres”, alerta o pesquisador.
Hábitos e uso do filtro — A pesquisa ainda demonstrou hábitos dos consumidores com relação ao uso do filtro solar:
- 72% dos entrevistados não reaplicam o fotoprotetor, percentual maior que em 2016 (69% em 2015);
- quase 2/3 da população (63%) não utiliza o produto em dias nublados (50% 2016 e 74% em 2015);
- FPS 30, 50 e 60 são os preferidos dos usuários;
- apenas 10% consultam o dermatologista para indicação do melhor filtro (6% em 2016 e 13% em 2015);
- 34% aplicam o produto apenas no rosto (32% em 2016 e 53% em 2015);
- 43% se expõem ao sol apenas pela manhã por acreditar ser o horário mais seguro (41% em 2016 e 52% em 2015);
- apenas 5% utilizam roupas para se proteger do sol (7% em 2016 e 10% em 2015).
Por meio dos números, o pesquisador analisa que ainda são necessárias medidas de larga escala para esclarecer à população sobre os malefícios da radiação UV, principalmente no que diz respeito à radiação UVA, e que ainda se fazem necessárias campanhas de conscientização sobre o uso correto dos filtros solares.
FONTE: LUCAS PORTILHO
Consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma. Especialista em formulações dermocosméticas e em filtros solares. Diretor das Pós-Graduações do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele, Hi Nutrition Educacional e Departamento de Desenvolvimento de Formulações do ICosmetologia.




Facebook tenta se reinventar

Estratégia de manter seus usuários em conflito parou de trazer lucros


Mark W. Datysgeld

19/01/2017 – Com agência UnAN (Unesp Angência de Notícias)
Desde 2017, o CEO da Facebook, Mark Zuckerberg, falava cada vez mais a respeito de como a distribuição de postagens na plataforma não favorecia o tipo de interação que a empresa desejava, com foco excessivo em produtos, marcas e notícias. O Facebook passou de ser uma plataforma largamente voltada ao compartilhamento de momentos pessoais, animais de estimação, festas e eventos, e algum conteúdo político mais focado, para se tornar uma guerra de trincheiras na qual ideologias políticas vagas precisam ser defendidas de modo sistemático e contínuo. Mudanças foram anunciadas recentemente visando trazer a plataforma de volta a tempos mais pacíficos.
Não podemos, no entanto, pensar que a utilização do Facebook anteriormente não causava problemas aos usuários. Associações de psicologia mundo afora já reportavam à respeito de como a interação com essa plataforma social favorecia sentimentos de inveja e depressão devido às constantes comparações com a vida social alheia, além de promover um estresse derivado da necessidade constante da manutenção de uma aparência online e da consequente busca por parecer alguém interessante e relevante todo o tempo, algo quase impossível na vida real.
No entanto, o foco do problema mudou entre 2016 e 2017, em meio a uma intensificação global das disputas políticas dentro de vários temas, estimuladas pela busca de afirmação de poder por parte de diferentes atores, grupos e movimentos que tentam avançar seu domínio ideológico em relação à sociedade, sejam eles do alinhamento político que forem.
Isso gerou um crescente investimento no Facebook enquanto arena ideológica, fomentando o fenômeno das fake news, que nada mais são do que uma constatação por parte desses atores políticos de que não é necessário fazer uso de dados reais para gerar reações viscerais em seus seguidores, bastando engajar com seus medos e ansiedades. O custo da mentira é pequeno, pois as pessoas fazem qualquer negócio para evitar o sentimento humilhante de estarem erradas em público, então mesmo que uma notícia se prove falsa, sempre já existe uma nova a caminho, e a atenção migra para outro tema deixando apenas um rastro de destruição no caminho.
Isso foi visto como positivo pela Facebook. O foco da plataforma sempre foi fazer com que as pessoas a acessassem o máximo o possível, passando o máximo de tempo dentro de seu jardim murado, tanto que empregam alguns dos melhores engenheiros de software do mundo para responder a essa pergunta de como manter um usuário alguns segundos a mais que seja na plataforma, potencialmente o expondo a uma nova propaganda ou mantendo outra em constante exibição.
Dentro do campo dos games para celular já é há muito sabido que gerar certo grau de desconforto para o jogador faz com que ele gaste mais dinheiro com as micro-transações oferecidas, pois é gerada uma vontade de se livrar do incômodo apresentado ao mesmo tempo que se quer continuar dentro do jogo. O Facebook apenas replicou isso em uma escala muito maior. Deixe seus usuários incomodados, estressados, pensando em responder a aquela postagem de alinhamento ideológico contrário ao seu mesmo quando está desligado da plataforma. Patrocinadores pagam cada vez mais caro para anunciar na plataforma.
Mas por quanto tempo você pode realisticamente manter as pessoas nesse estado? Alguns continuariam, até por já terem transformado suas vidas para se encaixarem no entorno desses conflitos, preenchendo necessidades e insuficiências pessoais com batalhas ideológicas que pareçam relevantes. No entorno desses usuários, no entanto, existem outros cujo interesse é mais voltado à realidade cotidiana, por exemplo, acompanhar o que fazem os amigos, a que eventos vão, como estão seus filhos, entre outras coisas. Essas pessoas ficaram cansadas do constante conflito político e cada vez mais abandonam a plataforma ou limitam seu uso.
Zuckerberg anunciou que a mudança de foco da empresa em 2018 seria voltado ao bem-estar de seus usuários, buscando tirar a prioridade do conteúdo político e dar mais ênfase para “o que realmente importa”, como família, animais de estimação, seriados, passeios e afins. Percebe-se o a seriedade da situação quando se lê mais à frente em sua postagem que o próprio CEO afirma que o lucro da Facebook vai cair como consequência da mudança, mas que lhe parece um movimento importante no longo prazo.
Inauguramos este ano com a promessa de uma nova era de paz dentro da maior rede social do mundo. Infelizmente, essa quietude vem com data de validade prevista, durando até o momento em que parecer lucrativo ao mercado reinserir a todos em um guerra ideológica global, quando a Facebook certamente não irá hesitar em mudar todo seu sistema novamente.
Mark W. Datysgeld é mestre em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação San Tiago Dantas (Unesp, UNICAMP, PUC-SP), especialista nos temas da Governança da Internet e no impacto da tecnologia na formação de políticas públicas e privadas.  É fundador do curso Governance Primer, iniciativa gratuita de ensino de Governança da Internet na América Latina. Toda sua produção está disponível em: www.markwd.website

ESPAÇO PET: No calor as pulgas e carrapatos se proliferam com maior facilidade. Fique de olho!

Alguns cuidados precisam ser tomados para garantir a saúde e bem estar dos animais

22/01/2018 – Com Agência AMB
O Verão é um período muito gostoso para curtir um passeio com os pets, não é mesmo? Prova disso é que os parques e praças sempre ficam cheios durante essa época do ano. Porém, junto com essa estação vem o calor, e, ele traz alguns probleminhas como os ectoparasitas.
Carrapatos e pulgas precisam ser combatidos, pois, além da coceira muitos outros problemas podem prejudicar o animal. “Em alguns casos podem ocorrer: apatia, diminuição de apetite, desenvolvimento de enfermidades como anemias, micoplasmose em gatos (ocasionada pela picada de pulga infectada) e as temidas hemoparasitoses em cães (transmitidas por carrapatos infectados), as quais necessitam de tratamento medicamentoso, e em casos mais graves, além de medicamentos, transfusão sanguinea, explica a Dra. Milena Guimarães, médica veterinária do Hospital Veterinário Cão Bernardo.
E, vale ressaltar, que nenhum pet está livre, pois em algum momento eles poderão ir passear com os proprietários ou frequentar pet shops. Além disso, nós mesmos podemos carregar esses ectoparasitas em roupas e sapatos. Também é possível que em residências vizinhas, caso haja infestação de carrapatos, eles possam vir por muros e corredores de apartamentos ou proximidades de portas e portões. Por isso, mesmo que o seu bichinho não fique solto ou freqüente locais públicos é preciso ter cautela.
Para tratar de pulgas é recomendado o uso de medicamentos mensalmente, seja via oral, sprays ou top spot. Já para carrapatos os cuidados precisam ser diferenciados. "Infestação de carrapatos é um pouco mais complexa, além da necessidade de aplicação de medicações seguindo o mesmo esquema do tratamento contra pulgas, há necessidade de avaliação de um médico veterinário para realização de exames como hemograma, 4dx ou mesmo PCR erlichia/babesia, pois os carrapatos passam doenças que se não tratadas poderão ser fatais ao paciente em questão”, afirma a Dra. Milena Guimarães.
Para finalizar é importante destacar que banhos semanais e higiene do local onde os animais vivem é de extrema importância em todo o ano, e, nessa época é essencial para manter tudo em ordem e poder aproveitar essas estações tão gostosas com sol, descontração e passeios e sem preocupação.

Cesta básica semanal do Procon-SP apresenta queda de 0,31%

Dos 39 produtos pesquisados, 22 apresentaram queda de preço

22/01/2018 - Com Fundação Procon SP –
O valor da cesta básica no município de São Paulo registrou queda de 0,31%, no período de 12 a 18 de janeiro, revela pesquisa diária da Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, em convênio com o Dieese. O preço médio, que no dia 11 de janeiro era R$ 661,22 passou para R$ 659,17 no dia 18 de janeiro.
 Por grupo, foram constatadas as seguintes variações:
Alimentação = 0,01%
Limpeza = -2,58%
Higiene Pessoal = -1,83%
 A variação no mês de janeiro de 2018 ficou em 1,16% (base 26/12/17).
 No período de 12/1/18 a 18/1/18, os produtos que mais subiram foram:

Biscoito maisena (pacote 200g)
5,42%
Desodorante spray (90/100 ml)
1,95%
Sabão em barra (unidade)
1,59%
Detergente líquido (500 ml)
1,48%
Margarina (250g)
1,48%
Sabão em pó (kg)
-5,36%
Papel higiênico fino branco (com 4 unidades)
-4,85%
Ovos brancos (dúzia)
-4,44%
Amaciante (2 litros)
-3,69%
Feijão carioquinha (kg)
-2,60%
Sabão em pó (kg)
-0,13
Papel higiênico fino branco (com 4 unidades)
-0,12
Carne de segunda sem osso (kg)
-0,11
Ovos brancos (dúzia)
-0,07
Batata (kg)
-0,05


As maiores quedas foram: 
Dos 39 produtos pesquisados, na variação semanal, 22 tiveram queda de preço, 15 apresentaram alta e dois permaneceram estáveis. Os produtos que mais contribuíram para a alta no período, em pontos percentuais, foram nesta ordem: