quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Petrobrás reduz preços, distribuidoras não, e gás de cozinha pode não ficar mais barato para o consumidor

Gil do Gás Filho, presidente da Apregas, denuncia que distribuidoras não estão repassando a redução no preço.


Mesmo com a redução de 5% no preço do gás de cozinha nas refinarias, anunciada para esta semana, o consumidor poderá pagar o mesmo preço de antes pelo botijão de gás de 13 kg. Isso é o que afirmam os representantes das revendedoras que estão revoltados em razão de que as distribuidoras não estão repassando a redução.
Assim, o preço do botijão para o consumidor poderá não sofrer alteração.
Para o presidente da Apregas (Associação Paulista dos Revendedores de Gás), Gil do Gás Filho, é uma situação desrespeitosa, desgastante e muito prejudicial. “Estamos diante de um impasse que causa prejuízos a revendedores e, principalmente, ao consumidor final. A Petrobras anunciou a redução no preço do gás, porém os distribuidores intermediários não estão repassando o desconto para as revendas, impedindo que possamos vender mais barato aos consumidores”, explica Gil do Gás Filho.
Gil atribui o que está acontecendo a uma espécie de “combinado”, já que nenhuma das distribuidoras efetuou o repasse. “Considerando que o anúncio da redução no preço do gás de cozinha foi divulgado nacionalmente, aos ‘quatro ventos’, inclusive com conotação de melhoria no custo de vida familiar, o consumidor, com razão, cobra o preço menor nas portas das revendas, que se veem entre a ‘cruz e a espada’, sem condições de vender mais barato porque as distribuidoras não repassaram o devido desconto.”
“Estamos diante de uma situação de completo desmando onde quem sempre paga a conta são os mais fracos, neste caso, os revendedores e consumidores”, argumenta Gil do Gás Filho.
O presidente da Apregas ainda destacou que estará trabalhando junto às distribuidoras na busca de solucionar o problema. “Vamos lutar com todas as nossas forças para obter o desconto anunciado pela Petrobras, não só pelos nossos associados mas, e, principalmente, pelos nossos clientes consumidores”, conclui.

1 comentários:

Postar um comentário